Pesquisar este blog

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Preço da área construída também sobe mais para os mais pobres


O projeto de lei complementar n° 55/10, de autoria do Executivo, também trata do reajuste do IPTU, e fixa novos valores básicos unitários da área construída, conforme o padrão dos imóveis.
De maneira semelhante ao fenômeno de maior valorização das áreas mais pobres da cidade (ver post de 7/12), esta proposta também revela estar havendo maior valorização das construções mais simples.
Segundo o projeto, o m² da construção residencial horizontal popular cresceu 65%, enquanto o da residencial horizontal luxo subiu 49%, desde a última alteração da lei, em 2005. E ainda, o m² da construção residencial vertical popular cresceu 69%, enquanto o da residencial vertical luxo subiu 51%, em igual período.
Se as fontes utilizadas pela Prefeitura, para apresentar a proposta, estiverem corretas, a pressão de maior valorização dos imóveis mais populares não está ocorrendo apenas devido à localização (preço dos terrenos), mas também por causa dos custos da construção civil serem proporcionalmente mais elevados em obras mais simples.
A vida da população de baixa renda não é mole...

Nenhum comentário:

Postar um comentário