Pesquisar este blog

domingo, 16 de janeiro de 2011

Bancada do Concreto: luz amarela acesa

Sinais preocupantes no ar, para quem luta por uma Santos mais justa e equilibrada. Duas notas (abaixo) publicadas na página 3, da edição desta semana, do jornal Boqueirão News, dão conta de movimentações nos bastidores da Câmara, para tentar barrar as parcas melhorias na Lei de Uso e Ocupação do Solo, que foram aprovadas pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano, no final do ano e devem entrar em breve na Câmara.

Se a informação for verdadeira, vem a confirmar que o setor da construção civil ainda não aprendeu a agir à luz. Sempre com bons padrinhos, seja no Executivo, seja no Legislativo, é um setor que, com raras exceções, prefere a sombra.

Devemos lembrar que a Câmara vai abrir, tão logo lhe seja enviado o projeto, um processo público de discussões. Então porque discutir o tema a portas fechadas?

"BANCADA DO CONCRETO
O bem articulado setor da construção civil santista, com apoio das incorporadoras paulistanas, movimenta-se para tentar barrar na Câmara as alterações no Plano Diretor, principalmente as que visam dificultar, ainda que de forma modesta, a liberação da altura dos prédios em áreas residenciais da Cidade.
BANCADA DO CONCRETO II
Vale lembrar que este setor tem as portas abertas na Secretaria de Infraestrutura e Edificações de Santos. Além disso, é da construção civil que sai grande parte do apoio financeiro das campanhas políticas dos vereadores, tanto os da situação como os de oposição. Com isso, são grandes as chances das pretendidas alterações no Plano Diretor ficarem no papel."

Nenhum comentário:

Postar um comentário