Pesquisar este blog

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Do Blog Reexame: 3%

Postado nesta sexta-feira, 21 de janeiro de 2011
Disponível em: http://reexame.blogspot.com/2011/01/3.html

Por Rafael Motta:

Três por cento da população de Santos (cerca de 15 mil de seus 420 mil habitantes) ainda não sabem o que é Poder Público. A Administração da cidade não chegou até esses moradores de cortiços, favelas, barracos e palafitas.

Só por isso, o Governo santista não passa no meu teste particular de popularidade. Eu, sozinho, represento 0,00024% dos habitantes. E, assim, tão individual, não sou ninguém, a não ser eu mesmo.

Mas sei de algo importante: não sou o único entre os que desaprovam o trabalho da Prefeitura. O Município tem uma gestão cosmética, preocupada no embelezamento de ruas, praças, bondes, velhos prédios “históricos” e dos mundialmente recordistas 5.335 metros do jardim da orla.

Em Santos, porém, chove de vez em quando. A chuva faz alagar cada vez mais. É impossível entrar e sair da cidade pela Zona Noroeste em dias de temporal. Também nessa região, as casas (mesmo as dignamente construídas, não apenas as de papelão ou madeirite) se enchem de água.

Santistas seguem morrendo de leptospirose, tuberculose, virose, aids, dengue. Santistas ainda perdem o pouco que têm pela ação do fogo ou da água. Santistas não têm acesso correto à saúde pública. Santistas estão há 20 anos em listas de espera por moradias populares que nunca chegam.

Ou vêm com atraso, porque a caixa d'água caiu nos prédios recém-construídos e adiou a entrega dos apartamentos (Vila Pelé 2, no Rádio Clube). E, quando finalmente acontece, prova-se sua má qualidade, com infiltrações, goteiras e alagamentos dentro de imóveis que mal ficaram prontos.

Ou, quando as moradias vierem, será longe de onde estão. Cerca de 1.100 famílias que hoje ocupam irregularmente regiões perto de mangues serão transferidas, sabe-se lá quando, para um conjunto habitacional a ser erguido na Cidade Náutica. Para São Vicente. Serão 4.500 santistas a menos.

Eu consigo me virar sem os serviços básicos da Prefeitura. A maioria dos cidadãos daqui consegue: tem emprego, pensão, aposentadoria, plano de saúde, casa para morar.

Mas eu também me importo com os 3% que faltam. E o governo?

Um comentário:

  1. Esse artigo é interessante:

    Boom imobiliário faz de Santos uma cidade pra ricos

    http://sindipetrolp.tempsite.ws/site/?p=3701

    ResponderExcluir