Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Um elefante na loja de cristais

Um dos maiores e mais intoleráveis impactos urbanos em Santos, situa-se em imóvel da União, no bairro do Jabaquara (ao centro da foto). Trata-se do terreno ocupado pela transportadora Transbrasa, com acesso para as avenidas Francisco Manoel e de prolongamento da Nilo Peçanha, junto à A. A. Portuários.
Quem passou pela confluência da primeira com a avenida Waldemar Leão (acesso ao tunel), no final da tarde de ontem, sabe do que estou falando. Era carreta com contêiner por todos os lados. Um verdadeiro caos no trânsito de um dos eixos viários mais importantes da Cidade. Um verdadeiro absurdo, que se prolonga há décadas, graças ao arrendamento da gleba, pela Codesp (legalmente questionável).
Publico este post agora, pois o prazo de vigência do arrendamento vai expirar no próximo mês e venho defendendo publicamente, há muito tempo, que esta área seja destinada a Habitação de Interesse Social.
Aliás, em reunião do Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano, realizada em 2010, questionei o Sr. Renato Barco, Diretor de Planejamento da estatal, quanto aos planos da mesma para a destinação da área, após o término do contrato. Na ocasião, não me pareceu que houvesse intenção da Codesp em renovar o arrendamento.
Cabe lembrar, que esta área integra o rol dos cerca de 40 terrenos da União, em Santos, que estão sendo objeto de notificação, pela Secretaria do Patrimônio da União, para devolução e nova destinação.
Aplaudo a iniciativa do órgão federal, desde que a nova destinação seja para moradia popular.
Mas hoje acendeu a luz amarela, pois fui informado de que o empresário proprietário da empresa já está se movimentando para manter a área, o que vai continuar provocando um custo social e ambiental impagável, para a Cidade.
Vou ficar alerta, pois nunca se deve afastar a hipótese de uma nova renovação. Quem conhece a vida política desta Cidade, me entenderá.

3 comentários:

  1. Volta e meia ouço falar sobre a apropiação de terrenos públicos para a iniciativa privada, no caso onde atualmete ficam o hipermercado Extra e o Centro de Convenções, o senhor tem como melhor informar os leitores desse blog sobre o esse caso?

    ResponderExcluir
  2. Duvido que poderão ser construídas habitações sociais em áreas onde o valor do terreno é alto, acredito que as habitações sociais são contruídas a grandes distâncias, pois o objetivo é mandar os pobres para muito, muito longe...

    ResponderExcluir
  3. Carriço, só agora encontrei este post. O que deu desse imoral arrendamento, foi prorrogado? Tô contigo nessa luta!

    ResponderExcluir