Pesquisar este blog

terça-feira, 26 de abril de 2011

De A Tribuna: Quando Santos terá Novos Tempos?

Matéria muito boa, publicada na edição de hoje de A Tribuna, comenta episódio ocorrido na sessão da Câmara, de ontem, quando a base governista rejeitou requerimento da vereadora Cassandra, para convocação do secretário de Desenvolvimento e Assuntos Estratégicos, Márcio Lara, para prestar esclarecimentos acerca do programa Santos Novos Tempos, em especial as "dificuldades"  para sua implementação e a nova lenda urbana em que vem se tornando.

A Tribuna, 26/4/2011 – p. A4
Quando Santos terá Novos Tempos?
DA REDAÇÃO
As enchentes na Zona Noroeste e os deslizes de terra nas áreas de risco dos morros de Santos terão fim com o programa Santos Novos Tempos. Esta é a promessa da Prefeitura. Mas o secretário de Desenvolvimento e Assuntos Estratégicos, Márcio Lara, saberia responder quando?
A possibilidade de convocação de Lara para explicar o que de fato já foi feito dentro do projeto dominou a sessão de ontem, na Câmara Municipal. A proposta partiu de um requerimento da vereadora Cassandra Maroni (PT).
"O programa é muito importante, mas até agora nada vimos de concreto", atacou a parlamentar. Ela decidiu convocar o secretário após participar de audiência pública sobre o tema, na quarta-feira, com Lara à frente dos trabalhos. "Cronogramas, prazos, ações previstas, nada foi detalhado. É um projeto cabeça de bacalhau: dizem que existe, mas a gente nunca vê".
O Santos Novos Tempos prevê obras de macrodrenagem na Zona Noroeste, contenção de encostas de morros e construção de moradias populares, entre outras ações. Está orçado em R$ 549 milhões, dos quais R$ 150 milhões estão sendo financiados pelo Banco Mundial.
O lado financeiro foi questionado pelo líder petista na Casa, Reinaldo Martins. "A ajuda do Banco Mundial não é de graça, terá de ser devolvido (o valor). Nesse período, a Prefeitura tinha disponível verba do PAC e PAC2 (Programa de Aceleração do Crescimento, do Governo Federal), mas não solicitou".
O vereador Valdir Nahora correu em defesa do programa. E comparou o prefeito a uma figura ilustre. "Depois de Saturnino de Brito (engenheiro sanitarista que projetou os canais da Cidade, há mais de 100 anos), somente João Paulo Papa surgiu como esperança para terminar com as enchentes".
O líder governista no Legislativo, vereador Marcus De Rosis (PMDB), propôs que Cassandra transformasse o requerimento de convocação em um convite a Lara. "O secretário está disposto a vir". Ele apontou, inclusive, uma data para o encontro: 16 de maio. Conforme estabelece a Lei Orgânica do Município, ao ser convocado, um secretário tem até oito dias para indicar uma data para a audiência.
Cassandra não aceitou. O requerimento foi rejeitado com12 votos contra e 3 favoráveis. E a pergunta inicial permanece no ar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário