Pesquisar este blog

domingo, 12 de junho de 2011

Kazuo Nakano aponta fragilidade na proposta da Prefeitura para controle dos impactos de vizinhança

Em excelente matéria do jornalista Bruno Guedes (ver abaixo), sobre a proposta apresentada pela Prefeitura de Santos, nesta semana (ver post de 7/6), visando ao controle dos impactos de vizinhança, o urbanista Kazuo Nakano aponta mais uma fragilidade do projeto, além das abordadas em outra matéria sobre o mesmo assunto, publicada no último dia 8/6, pelo mesmo jornal (p. A3).
A questão levantada por Nakano, do instituto Pólis, é de grande relevância. Segundo o urbanista, o projeto da Prefeitura desconsidera o efeito cumulativo dos empreendimentos. Ou seja, a proposta apresentada leva em conta apenas o impacto isolado dos novos empreendimentos. E mesmo assim em nível muito aquém do necessário, como já foi apontado na matéria do dia 8 e no referido post.
Para Nakano, em áreas onde já existem outros empreendimentos de porte, é necessário avaliar o conjunto dos impactos e não apenas o impacto provocado pelo empreendimento em fase de licenciamento. Ao desconsiderar esta possibilidade, o município desperdiça a chance de controlar para valer os impactos urbanos que ainda estão por vir, avaliando-se, também, como estes se somam aos impactos do que já foi implantado anteriormente.
Boa leitura!




Nenhum comentário:

Postar um comentário