Pesquisar este blog

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Prorrogando a agonia



Saiu publicado na edição do dia 4/7, do Diário Oficial de Santos (p. 8) o Decreto acima (página 8), que trata da prorrogação da situação de emergência da área incendiada da Vila Telma, em 10/5/2010.
A mesma prática foi adotada para a área do incêndio de dezembro de 2006, na Vila Alemoa, a qual até hoje não foi objeto de urbanização.
Na verdade, a prorrogação revela a velocidade das medidas adotadas pelo Poder Público, que é incompatível com o desespero e as necessidades das cerca de 200 famílias vitimadas.
Ou seja, após dois anos e dois meses, as famílias da Vila Telma, todas de baixa renda, ainda estão sem atendimento pela política habitacional do Município.
Atualmente, 129 famílias ainda recebem auxílio moradia e poucas ainda se encontram no alojamento da Vila Alemoa, para onde foram transferidas após o incêndio. Estas providências ajudam, mas não resolvem a situação de precariedade em que vivem.
Portanto, o que se espera é mais agilidade do encaminhamento das soluções planejadas, que passam inclusive pela aceleração da obra do conjunto habitacional Caneleira IV, que está sendo construído pela COHAB, com recursos federais. 
Esta obra, quando concluída, deverá receber um número ainda incerto de famílias vitimadas pelo incêndio. No início, a intervenção teve seu início retardado, por questões ambientais, tendo sido retomada em maio de 2011, mas até o momento não passou da fase de estaqueamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário